Header Ads

DESCOBERTAS DE EXPEDIÇÃO LANÇAM NOVA LUZ SOBRE O MISTÉRIO DO PASSO DYATLOV


 As descobertas reforçam uma explicação particular para um dos mistérios mais duradouros do século 20.

Considerado um dos casos não resolvidos mais arrepiantes da Rússia, o incidente do Passo Dyatlov envolveu um grupo de nove estudantes que desapareceram depois de fazer uma caminhada nos Montes Urais. Liderados por Igor Dyatlov, de 23 anos, eles partiram em 23 de janeiro de 1959 e nunca mais foram vistos vivos.

Quando as equipes de resgate foram procurá-los, encontraram a barraca do grupo, que parecia ter sido aberta por dentro com um instrumento afiado, nas encostas do Monte Kholat Syakhl.

Os pertences dos caminhantes estavam todos espalhados pelo acampamento e um rastro de pegadas indicava que eles haviam se levantado e saído às pressas, alguns deles sem sapatos ou meias.

Depois de seguir a trilha por 1,5 km, os socorristas descobriram cinco corpos, muitos exibindo sinais de trauma físico, como crânio rachado e costelas quebradas.

Nenhum sinal dos outros quatro membros do grupo foi encontrado, no entanto, após uma extensa busca que durou dois meses, as equipes de resgate finalmente localizaram seus restos mortais em uma floresta próxima.

Uma investigação criminal mais tarde culpou suas mortes em uma "força irresistível desconhecida".

Várias décadas depois, no entanto, um novo estudo publicado na revista Communications Earth and Environment apresentou a teoria de que os caminhantes morreram de uma forma incomum de avalanche “atrasada” de pequena escala.

Agora, várias expedições recentes à região adicionaram mais evidências em apoio à teoria da avalanche - potencialmente o suficiente para considerar o mistério resolvido de uma vez por todas.

Alexander Puzrin, da ETH Zurich e Johan Gaume Ecole Polytechnique Federale de Lausanne, identificaram pela primeira vez a teoria da avalanche em 2021

"As evidências diretas da área de Dyatlov Pass obtidas nessas expedições confirmam que a região é propensa a avalanches e que as encostas acima do local onde Igor Dyatlov e seu grupo armaram sua barraca são íngremes o suficiente para que as avalanches sejam liberadas".

“Pesquisas independentes de cientistas russos de neve e clima apoiaram suposições e os principais resultados de nossa modelagem de avalanche de lajes”.