SE VIVEMOS EM UMA SIMULAÇÃO, QUANTA MEMÓRIA DE COMPUTADOR ELA PRECISA?


 Armazenar uma simulação do universo provavelmente exigirá mais memória do que um videogame comum.

E se disséssemos que o mundo em que você vive não é real? Pode soar como um conceito saído diretamente do favorito da ficção científica de Keanu Reeves, 'The Matrix', mas de acordo com algumas das mentes mais importantes do mundo, a ideia de que estamos vivendo dentro de uma simulação de computador sofisticada não é apenas possível, pode realmente ser mais provável do que a ideia de que estamos vivendo no mundo real.

Mas, como todos os programas de computador, essa simulação complexa - que presumivelmente incluiria todo o universo observável - teria que ser armazenada em algum lugar.

Intrigado com a possibilidade, o físico Melvin Vopson, da Universidade de Portsmouth, procurou calcular quanta memória de computador o universo inteiro realmente exigiria.

Para fazer isso, ele começou determinando quanta informação existe em uma única partícula subatômica e, em seguida, multiplicou por uma estimativa do número total de partículas no universo.

Esse cálculo chega a ridículos 10 ^ 93 bits - ou 600 milhões de trilhões de trilhões de trilhões de trilhões de trilhões de trilhões - necessários para armazenar todo o universo na memória do computador.

Claro, se estamos vivendo em uma simulação de computador, é provável que seja criada por uma civilização muito mais avançada (ou até mesmo por nossos eus "futuros"), o que significa que tais níveis de armazenamento de computador podem não ser particularmente excessivos ou inatingíveis.

Do jeito que as coisas estão, é um pouco como tentar imaginar como os videogames de grande orçamento mais recentes (que podem exceder 100 GB de tamanho) poderiam ser armazenados na memória de um velho computador doméstico de 8 bits dos anos 80.