IDENTIDADE DE JACK, O ESTRIPADOR REVELADA?


 A identidade de Jack, o Estripador foi ao longo de mais de um século, uma grande incógnita, apesar de sua história de assassinatos ter se popularizado e se tornado conhecida por muitas pessoas ao redor do mundo.

Porém, o escritor Garry Linnell garante que descobriu quem era o homem que realizou ataques a mulheres em Londres no ano de 1888, mais especificamente no bairro de Whitechapel.

Ao menos é o que afirma em seu livro entitulado 'The Devil’s Work: How Australia hunted and hanged the serial killer who shocked the world' ("O Trabalho do Diabo: Como a Austrália Caçou e Enforcou o Serial Killer Que Chocou o Mundo").

O suspeito, segundo Linnel

Conforme informações do Daily Mail, repercutidas pelo History, a obra lançada no ano de 2019 aponta um cidadão inglês chamado Frederick Deeming como sendo o famoso Jack, o Estripador.

De acordo com Gary, Deeming teria matado duas esposas e quatro filhos. Evidências mostrariam que ele e o temido assassino em série seriam a mesma pessoa.



Quem era Frederick?

Deeming nasceu na Inglaterra no ano de 1853, porém se mudou para a Austrália com sua esposa, Marie, em 1882, e passou a trabalhar com gás e encanamento.

Ele chegou a ser preso por uma série de roubos e golpes cometidos no novo país, de modo que o casal decidiu retornar à Inglaterra no final da mesma década, já com filhos.

Segundo a fonte, mesmo tendo uma esposa, Frederick se casou com uma segunda mulher em 1889, utilizando um nome falso.



Infelizmente, tempos após uma nova temporada na prisão motivada por um golpe que teria dado em um joalheiro, Deeming assassinou sua primeira companheira e os quatro filhos.

Depois do episódio, o criminoso voltou à Austrália, ao lado de sua segunda esposa, Emily Lydia Mathe.

A segunda mulher

No Natal de 1891, Frederick matou Emily a machadadas na casa em que os dois viviam, na cidade de Melbourne. Depois que o corpo da vítima foi encontrado, o inglês acabou sendo preso.



Na época, diante dos crimes, ele chegou a entrar para a lista suspeitos de ser Jack, O Estripador. Contudo, como as autoridades acreditaram que ele não estava na Inglaterra no ano de 1888, a possibilidade foi descartada. Entretanto, novas investigações indicam que ele, na verdade, esteve no local na época dos crimes.

Além disso, segundo o escritor, o criminoso teria contraído sífilis de uma prostituta durante um tempo em que passou na África do Sul, o que pode ter sido um motivo para o mesmo ter começado a perseguir profissionais do sexo.

Como Jack, o Estripador ficou conhecido por matar essas mulheres, seria possível que os dois fossem a mesma pessoa, de acordo com Gary.