RECONSTRUÇÕES FACIAIS DE ANCESTRAIS HUMANOS REVELADAS


 Os cientistas recriaram meticulosamente os rostos de dois de nossos primeiros ancestrais que datam de milhões de anos.

Quando o paleoantropólogo Donald C. Johanson descobriu pela primeira vez os ossos fossilizados de uma espécie de hominídeo primitiva datando de 3,2 milhões de anos, durante uma expedição na Etiópia, a descoberta foi celebrada como uma das descobertas paleontológicas mais significativas já feitas.

Chamado de 'Lucy', este ancestral ancestral dos humanos modernos pertencia a uma espécie conhecida como Australopithecus afarensis - um bípede primitivo, semelhante a um macaco, com braços longos e dedos curvos.

Embora tenha havido muitas tentativas ao longo dos anos para reconstruir a aparência de Lucy, muitos dos artistas fizeram suposições inverificáveis ​​sobre certos atributos físicos, resultando em representações impressionantes, embora muitas vezes imprecisas de sua aparência.

Este último esforço, entretanto, não é apenas o mais preciso até o momento, mas também o mais transparente - revelando precisamente como os pesquisadores o criaram e quais suposições foram feitas.

A imagem (acima) também inclui a reconstrução de outro espécime humano antigo - um indivíduo chamado 'criança Taung' que foi descoberto na África do Sul e data de 2,8 milhões de anos.

Esses rostos representam uma visão intrigante dos rostos de nossos ancestrais e servem como uma janela para uma época em que nossos progenitores não eram tão diferentes dos grandes macacos que vemos hoje.

É um lembrete pungente de quão longe nossa espécie avançou nos últimos milhões de anos.