A PARTÍCULA ESTÁ DESOBEDECENDO ÀS LEIS CONHECIDAS DA FÍSICA


 Experimentos recentes envolvendo múons abriram um buraco em nossa compreensão atual do universo.

As descobertas, que parecem concordar com os resultados de experimentos semelhantes conduzidos no Laboratório Nacional de Brookhaven em 2001, envolveram o disparo de múons - um tipo de partícula elementar - por meio de um campo magnético intenso no Laboratório Nacional do Acelerador Fermi em Batavia, Illinois.

O físico Chris Polly, junto com uma equipe internacional de mais de 200 cientistas de sete países, descobriu que as partículas não se comportaram como previsto pelas leis conhecidas da física.

Isso implica que há uma grande lacuna em nossa compreensão atual do universo e sugere que existem "formas de matéria e energia vitais para a natureza e a evolução do cosmos que ainda não são conhecidas pela ciência", de acordo com um artigo recente em o New York Times .

"Esta é uma forte evidência de que o múon é sensível a algo que não está em nossa melhor teoria", disse a física Renee Fatemi, da Universidade de Kentucky.

Há apenas uma chance em 40.000 de que os resultados sejam um acaso, relatam os cientistas.

"Após 20 anos de pessoas se perguntando sobre este mistério de Brookhaven, a manchete de qualquer notícia aqui é que confirmamos os resultados experimentais de Brookhaven", disse o Dr. Polly.

"Podemos dizer com bastante confiança, deve haver algo contribuindo para este espaço em branco. Que monstros podem estar espreitando lá?"

Resolver esse enigma, na verdade, é outra questão totalmente diferente.

“Estou muito animada. Acho que essa pequena oscilação pode abalar os alicerces do que pensávamos saber”, disse Marcela Carena - chefe de física teórica do Fermilab.