"FURACÃO ESPACIAL" OBSERVADO SOBRE O POLO NORTE


 Os cientistas detectaram, pela primeira vez, um furacão ocorrendo na parte superior da atmosfera da Terra.

Furacões que se formam na atmosfera inferior do nosso planeta são comuns e bem documentados, mas até agora a ideia de um furacão se formando na atmosfera superior da Terra parecia mais um conceito de um filme de ficção científica do que algo que poderia realmente acontecer na realidade.

No entanto, uma nova análise de dados registrados em 20 de agosto de 2014 por pesquisadores da Universidade Shandong da China revelou a detecção do que está sendo referido como um 'furacão espacial' que se formou sobre o Pólo Norte e se estendeu por uma região superior a 1.000 km em diâmetro.

Alcançando de 110 km a 860 km de altitude, este evento atmosférico notável era composto principalmente de plasma e consistia em vários braços espirais que giravam no sentido anti-horário.

O centro - ou "olho" - do furacão permaneceu parado, assim como nos furacões normais da baixa atmosfera.

"Até agora, era incerto que furacões de plasma espacial existissem, então provar isso com uma observação tão impressionante é incrível", disse o físico Mike Lockwood, da Universidade de Reading.

"Tempestades tropicais estão associadas a grandes quantidades de energia, e esses furacões espaciais devem ser criados por uma transferência extraordinariamente grande e rápida de energia eólica solar e partículas carregadas para a atmosfera superior da Terra."

Acredita-se que o mesmo fenômeno também possa ocorrer em outros mundos.

"Os campos de plasma e magnético na atmosfera dos planetas existem em todo o universo,