TURISTAS DESAPARECEM AO VISITAR DYATLOV PASS


 Um grupo de turistas que visitava o local do incidente de 1959 foi dado como desaparecido na quarta-feira.

Segundo relatos, o grupo, que consistia de 8 caminhantes de Moscou (todos não registrados), havia feito uma expedição para a região de Dyatlov Pass no início da semana e deveria retornar na quarta-feira, mas não apareceu, gerando preocupações com o seu bem-estar.

"Eles deveriam sair às oito horas desta manhã", disse uma fonte local na época. "Mas eles ainda não voltaram e não há contato com eles".

Acredita-se que o objetivo da expedição era homenagear os nove alunos que perderam suas vidas em circunstâncias misteriosas durante uma caminhada nos Montes Urais em 1959.

Liderado por Igor Dyatlov, de 23 anos, o malfadado grupo partiu em 23 de janeiro daquele ano.

Quando as equipes de resgate foram procurá-los, encontraram a tenda do grupo, que parecia ter sido aberta por dentro com um instrumento afiado, nas encostas do Monte Kholat Syakhl.

Os pertences dos caminhantes estavam todos espalhados pelo acampamento e um rastro de pegadas indicava que eles haviam se levantado e saído com pressa, alguns deles sem sapatos ou meias.

Depois de seguir a trilha por 1,5 km, os socorristas descobriram cinco corpos, muitos exibindo sinais de trauma físico, como crânio e costelas quebradas.

As teorias sobre o que aconteceu com eles continuam até os dias atuais.

Com alguma sorte, no entanto, tal destino não recairá sobre este último grupo desaparecido na região.

Atualização:

Desde então, foi relatado que o grupo desaparecido de 8 caminhantes retornou com sucesso de sua expedição com cerca de 12 horas de atraso. Problemas de navegação e mau tempo foram os responsáveis ​​pelo atraso.

Seu equipamento de comunicação também havia quebrado, impedindo-os de fazer contato.