OS TILACINOS SOBREVIVERAM ATÉ OS ANOS 90, AFIRMA ESTUDO


 Um novo estudo sugeriu que o tigre da Tasmânia pode ter sobrevivido até recentemente.

Um dos exemplos recentes mais conhecidos de uma espécie exterminada pelas práticas de caça humana, o tilacino era um marsupial carnívoro distinto, nativo da Austrália, Tasmânia e Nova Guiné.

Relatos esporádicos de alegados tilacinos na natureza, entretanto, continuam até os dias de hoje.

Mas será que a espécie ainda pode estar lá ou sua sobrevivência quase 100 anos após sua extinção oficial na década de 1930 é pouco mais do que um pensamento positivo neste momento?

De acordo com um estudo publicado recentemente, o tigre da Tasmânia provavelmente não morreu na primeira metade do século 20, como geralmente se acredita, mas conseguiu resistir a todas as probabilidades até a década de 1990 ou possivelmente até o início de 2000 antes de finalmente sucumbindo à extinção.

As descobertas contradizem a imagem oficial e sugerem que os tilacinos estavam vagando há relativamente pouco tempo, em uma época em que se acreditava que eles haviam desaparecido há muito tempo.

O estudo envolveu uma análise de três anos de mais de 1.200 avistamentos de tigres da Tasmânia e concluiu que ainda há uma pequena chance de que a espécie ainda possa estar lá hoje.

"Como o Dodo e o Pombo Passageiro antes dele, o tilacino se tornou um símbolo icônico da extinção causada pelo homem", escreveram os autores do estudo.

"Ainda hoje, relatos sobre a possível sobrevivência contínua do tilacino em regiões remotas da Tasmânia são dignos de notícia e continuam a capturar a imaginação do público, com muito debate sobre se o evento de extinção já ocorreu e, em caso afirmativo, quando?"

"Nós mostramos, usando um mapeamento espaço-temporal único e robusto e abordagem de modelagem, sustentada pelo primeiro banco de dados de avistamentos do mundo (desde 1910 até os dias atuais), que o tilacino provavelmente persistiu até o final do século 20, com alguma possibilidade de sobrevivência contínua".