O RELÓGIO DO JUÍZO FINAL AINDA ESTÁ A SEGUNDOS DA MEIA-NOITE


 A última atualização do relógio simbólico mostra que não houve muitas melhorias nos últimos 12 meses.

Mantido pelo Bulletin of the Atomic Scientists desde 1947, o Doomsday Clock é uma representação visual de quão perto o mundo está de um desastre com base em ameaças políticas, ambientais e tecnológicas, como aniquilação nuclear e mudança climática.

Quando foi atualizado pela última vez há doze meses, os ponteiros foram alterados para meros 100 segundos à meia-noite - o mais próximo de um desastre desde 1950.

Este ano, as autoridades optaram por manter a posição do relógio a mesma, com base no fato de que a "vulnerabilidade do mundo à catástrofe" não mudou muito nesse ínterim.

Os cientistas citaram o aumento da desinformação online, a instabilidade política nos Estados Unidos, as preocupações com o controle das armas nucleares e a falta de progresso nas mudanças climáticas como os principais fatores.

"A pandemia revelou o quão despreparados e relutantes os países e o sistema internacional estão para lidar com as emergências globais de maneira adequada", disse o Boletim dos Cientistas Atômicos em um comunicado.

No entanto, houve positividade em torno da decisão de Joe Biden de voltar a aderir ao Acordo Climático de Paris.

"A eleição de um presidente dos Estados Unidos que reconhece as mudanças climáticas como uma ameaça profunda e apóia a cooperação internacional e políticas baseadas na ciência coloca o mundo em uma posição melhor para enfrentar os problemas globais", afirmou o Boletim.

"No contexto de um retorno pós-pandêmico à estabilidade relativa, mais tais demonstrações de interesse renovado e respeito pela ciência e cooperação multilateral poderiam criar a base para um mundo mais seguro e são".