FOTO DAS FADAS DE COTTINGLEY EM EXIBIÇÃO


 A impressão de contato mais antiga conhecida de uma das fotos originais das fadas de Cottingley está agora em exibição.

A história das fadas de Cottingley veio das fontes mais improváveis ​​- duas jovens primas, Elsie Wright e Frances Griffith, de Cottingley, Inglaterra.

A dupla, que costumava brincar perto de um riacho no fundo do jardim da mãe de Elsie, alegou que havia fadas morando lá. Para provar isso, Elsie um dia pegou emprestada a câmera de seu pai e as meninas passaram 30 minutos tirando fotos delas.

As fotos, consideradas muito convincentes na época, foram a público em meados de 1919 e rapidamente se tornaram famosas em todo o país. Muitos acreditavam que as fadas eram reais, incluindo o autor e espiritualista Sir Arthur Conan Doyle, que incluiu as fotos em um artigo de revista que escreveu.

O mistério das fadas de Cottingley duraria mais de 60 anos até que, finalmente, em 1983, os dois primos admitiram que as fotos foram falsificadas usando ilustrações recortadas de um livro.

Ambos, entretanto, permaneceram inflexíveis quanto ao fato de terem genuinamente visto fadas no fundo do jardim.

Agora, a primeira imagem desenvolvida em 1917 a partir do negativo original 'Frances and the Fairy Ring' foi exposta no The Museum of the Weird em Austin, Texas.

"O proprietário do Museu do Estranho, Steve Busti, diz que adquiriu a fotografia histórica no ano passado, quando deu o lance vencedor no leilão de 11 de abril de 2019 de artefatos originais Cottingley Fairies, organizado pela Dominic Winter Auctioneers", afirma o comunicado à imprensa.

"Esta impressão de contato em particular também é digna de nota por ter sido reproduzida na edição de maio de 1985 do British Journal of Photography, onde o editor Geoffrey Crawley expôs o caso Cottingley Fairies como uma farsa".