NASA ESCOLHE NOKIA PARA CONSTRUIR PRIMEIRA REDE DE INTERNET NA LUA


A Nasa anunciou no último dia 14 de outubro as empresas selecionadas para ajudar a desenvolver a tecnologia utilizada na missão Artemis, que enviará a primeira mulher à Lua ainda nesta década. Dentre as selecionadas está a filandesa Nokia, cuja função será impantar o primeiro sistema de comunicação LTE/4G no espaço.

"Aproveitando nossa rica e bem-sucedida história em tecnologias espaciais, desde o pioneirismo na comunicação por satélite até a descoberta da radiação cósmica de fundo em micro-ondas produzida pelo Big Bang, estamos agora construindo a primeira rede de comunicações celulares na Lua", afirmou Marcus Weldon, diretor de tecnologia da Nokia e presidente do Nokia Bell Labs, em declaração à imprensa divulgada nesta segunda-feira (19). "Redes de comunicações confiáveis, resilientes e de alta capacidade serão essenciais para apoiar a presença humana sustentável na superfície lunar".

A rede será essencial para muitas aplicações diferentes de transmissão de dados, incluindo funções vitais de comando e controle, controle remoto de rovers lunares, navegação em tempo real e streaming de vídeo de alta definição. Segundo a empresa, a rede LTE da Nokia, precursora do 5G, é ideal para fornecer conectividade sem fio para qualquer atividade que os astronautas precisem realizar, permitindo recursos de comunicação de voz e vídeo, telemetria e troca de dados biométricos e implantação e controle de cargas úteis robóticas e sensores.

Outras empresas

Dentre as outras companhias selecionadas estão pequenas empresas, como a Eta Space, e gigantes da tecnologia, como a SpaceX, do sul-africano Elon Musk. O valor total do financiamento é estimado em U$ 370 milhões, cerca de R$ 2,1 bilhões pela cotação atual do dólar.

"O investimento significativo da Nasa em demonstrações de tecnologia inovadora, lideradas por pequenas e grandes empresas dos EUA em nove estados, expandirá o que é possível no espaço e na superfície lunar", disse Jim Bridenstine, administrador da Nasa, em comunicado. "Juntas, a Nasa e a indústria estão construindo uma série de recursos para a missão para apoiar uma presença sustentável na Lua e futuras missões humanas a Marte."

Os milhões ajudarão a amadurecer tecnologias de gerenciamento de fluidos criogênicos e a desenvolver aparatos para a superfície lunar nas áreas de utilização de recursos in situ, geração de energia de superfície e armazenamento de energia, comunicações e muito mais. "Estamos entusiasmados em ver nossos investimentos e parcerias colaborativas trazendo novas tecnologias para a Lua e além, ao mesmo tempo em que beneficiam o setor comercial", observou Jim Reuter, administrador associado para tecnologia espacial da Nasa.