O CASO DO OVNI DE KELLY CAHILL CONTINUA SEM EXPLICAÇÃO


Um dos encontros de abdução alienígena mais desconcertantes da Austrália continua a se provar convincente 27 anos depois.

A história começou na noite de 7 de agosto de 1993, quando Kelly Cahill e seu então marido Andrew estavam dirigindo para a casa de uma amiga ao longo da Belgrave-Hallam Road em Narre Warren, Melbourne.

Enquanto dirigiam, ela notou algo incomum em um paddock ao lado da estrada - seis luzes laranja em uma formação circular distinta 'como nada que ela já tinha visto antes'.

O resto da viagem transcorreu sem intercorrências e o casal chegou ao destino sem incidentes, porém, no caminho para casa, algumas horas depois, as coisas tomaram um rumo bastante sinistro.

Enquanto dirigiam de volta ao longo do mesmo trecho da estrada, eles encontraram as mesmas luzes laranja, mas desta vez pareciam estar pairando acima da estrada na frente deles.

Ao se aproximarem, eles puderam ver que o objeto era na verdade algum tipo de nave.

"Pude ver então que as luzes laranja eram na verdade janelas", escreveu Cahill. "Eu podia ver as figuras em pé atrás dos portais".

À medida que se aproximavam, o objeto voou 'a uma velocidade incrível' antes de aparecer novamente em um paddock um pouco mais adiante na estrada. Foi então que eles passaram por um período de inexplicável perda de memória e se encontraram várias centenas de metros mais adiante do que deveriam.

Mais tarde, através da hipnose, Cahill lembrou que eles realmente pararam para verificar as luzes, apenas para encontrar várias entidades altas e magras que dispararam algum tipo de arma de energia contra eles.

O que tornou o incidente particularmente convincente foi o fato de que os ocupantes de outro carro que Cahill tinha visto nas proximidades, mais tarde se apresentaram para relatar uma experiência muito semelhante.

Havia até um advogado local que também passou de carro na época com uma história corroboradora.

Então, o casal poderia realmente ter encontrado visitantes extraterrestres naquela noite?

A busca por respostas continua.