MORRE AL WORDEN QUE ORBITOU A LUA NA MISSÃO APOLLO 15


Faleceu nesta quarta-feira (18), no Texas, o ex-astronauta Alfred M. Worden, aos 88 anos. Ele foi piloto do módulo de comando Endeavour da missão Apollo 15, que aconteceu em julho de 1971. Worden ficou na órbita lunar enquanto o comandante David Scott e o piloto James B. Irwin pousavam e exploravam a superfície do nosso satélite natural.

"Estou profundamente triste ao saber que o astronauta da Apollo Al Worden faleceu", escreveu o administrador da NASA Jim Bridenstine, no Twitter, sobre Worden. “Al era um herói americano cujas realizações no espaço e na Terra nunca serão esquecidas”.

Além da publicação na rede social, Bridenstine escreveu uma nota oficial no site da NASA, enviando condolências à família e entes queridos do astronauta e resumindo um pouco os momentos mais marcantes de sua carreira, além de listar suas contribuições à agência espacial norte-americana. “Lembramos desse pioneiro cujo trabalho expandiu nossos horizontes”, finalizou Jim.

Worden nasceu em 7 de fevereiro de 1932, na cidade de Jackson, em Michigan, no dia 7 de fevereiro de 1932. Foi nomeado para a Academia Militar dos Estados Unidos em West Point, graduando-se em 1955 e conseguiu o mestrado em engenharia aeronáutica e engenharia de instrumentação na Universidade de Michigan em 1963. Em 1971, a Universidade de Michigan concedeu a ele um doutorado honorário em ciências da engenharia astronáutica.

Antes de se tornar astronauta, o então Coronel Worden foi ainda instrutor da Escola de Pilotos de Pesquisa Aeroespacial. Ele também serviu como piloto e oficial de armamento entre março de 1957 e maio de 1961. Depois disso, se tornou um dos 19 astronautas selecionados pela NASA, em abril de 1966, e atuou como membro da equipe de suporte na missão Apollo 9 e como piloto do módulo de comando de backup da Apollo 12.

Na Apollo 15

Como piloto do módulo de comando, Worden ficou em órbita enquanto seus colegas exploravam a região lunar Hadley Rille e as Montanhas Appenninas. O módulo de comando Endeavor foi o primeiro a ter seu próprio conjunto de instrumentos científicos.

“O mais interessante para mim foi tirar fotografias de objetos muito fracos com uma câmera especial que eu tinha a bordo”, disse Worden à Smithsonian Magazine em 2011. “Esses objetos refletem a luz do Sol, mas é muito, muito fraco e você pode ver [da Terra]. Existem vários lugares entre a Terra e a Lua que são pontos de equilíbrio estáveis. E se for esse o caso, tem que haver uma nuvem de poeira lá. Eu tenho fotos disso”, relatou.