NOBEL DE QUÍMICA PREMIA CRIAÇÃO DE BATERIAS MAIS SEGURAS E QUE CARREGAM MAIS RÁPIDO


Baterias de íons de lítio, a revolução tecnológica reconhecida no Prêmio Nobel de 2019!

Essas baterias são utilizadas em celulares, notebooks e carros elétricos: norte-americano, britânico e japonês foram reconhecidos com o Nobel de Química pela criação dos dispositivos.

Na manhã desta quarta-feira (9) foram anunciados os três vencedores do Prêmio Nobel 2019 de Química: o norte-americanoJohn B. Goodenough, o britânico-americano M. Stanley Whittingham e o japonês Akira Yoshino. Eles foram premiados pelo desenvolvimento de baterias de íons de lítio, hoje usadas em celulares, notebooks e carros elétricos. Os vencedores vão dividir de forma igualitária o prêmio de 9 milhões de coroas suecas, cerca de R$ 3,72 milhões.


John B. Goodenough, 97 anos, é a pessoa mais velha a ganhar o Nobel. Ele nasceu em 1922 em Jena, na Alemanha, e ocupa a Cadeira Cockrell em Engenharia na Universidade do Texas em Austin, nos Estados Unidos. Com 77 anos, M. Stanley Whittingham é professor na Universidade Binghamton, parte da Universidade Estadual de Nova York, também nos Estados Unidos. Já Akira Yoshino, de 71 anos, é professor na Universidade Meijo, em Nagoya, no Japão, e Membro Honorário da corporação Asahi Kasei, em Tóquio.